28/08/2008

Cubículo

Antes de mais tudo... esse texto não é meu, é dela (http://lluaraq.blogspot.com/)

Ela

- que escreve como onda, anda, onda...
- que retrata, trata, trata
- que flui, flui, fui....


escreveu pra mim, e eu para ela.... a mesma mesmice de outra cabeça... Visite o dela e estará visitando a mesma mesmice de sempre.

Obrigado



Eu não tenho valores. Comigo é só niilismo, cinismo, sarcasmo e orgasmo. E eu poderia ganhar um cargo público na França com esse slogan.
Tudo isso é para quem acredita em milagres – ou para quem não sabe dizer a verdade. Sabe, esse mundo está muito apertado, para mim ao menos. Ele está pequeno, um cubículo instável.

Em uma de minhas experiências com psicólogos, um de tantos disse algo mais; segundo ele, eu apenas me fechei para não encarar a realidade. Não tenho problema nenhum, só um autismo existencial. Evito pessoas para não ter o trabalho de me despedir, finjo não sentir para não ter que me explicar, fico no escuro por fechar os olhos. Não sei o que essas coisas querem dizer, nem estou no momento conseguindo colocar aqui algum termo cientifico ou alguma palavra que te force a ir até o Google.
O meu problema é o espaço. Ele está querendo me limitar, não gosto de ser empurrada, eu nem furo fila. Minha ansiedade é visível tanto quanto minha arrogância. Meu desprezo por coisas instantâneas é parcialmente constatado para quem me pergunta mais de uma vez se eu estou bem. Não estou. Nunca estive. Falta-me ar.

Nunca foi lá muito organizada, mas tenho minhas gavetas, as quais enterro metade do meu passado e o que resta do meu presente. Sempre que penso o quanto estou deixando de fazer admito que me entristeço, embora não sinta falta disso. Eu sei usar meu silêncio e busco brindes nas relações com o que me rodeia, gosto de idéias, de coisas. Não gosto de pessoas. Elas me apertam. As que eu tenho me bastam.
E naqueles raros momentos que não há nenhuma motivação oculta... Nós ficamos tão estupefatos que podemos não conseguir reconhecer a verdade.

Julgo tudo o que não sou capaz de fazer, por preguiça ou por medo. Breve, sinto-me como se acreditasse só no que um dia alguém me mostrou, agindo como se nada disso pudesse ser apresentado sob outra perspectiva. Outra pessoa. Após esses freqüentes momentos de lucidez, abro minhas gavetas e procuro algo que não sei o que é; para entregar a alguém que eu não sei quem é. Desconhecidos sempre são mais interessantes quando você perde o controle remoto da sua TV. Sou mais legal aqui, que no mundo real.

Aprendi que o mundo é redondo. Grande mentira! O meu é um quadrado, ou quem sabe uma pequena gaveta quadrada. E se por acaso voce encontrar a chave, favor mandar pelo correio.

10 comentários:

' arcano disse...

Nem chega aos pés das suas palavras, mas tento fazer delas as minhas, e vice-versa :]

Adorei seu texto, será o proximo postado *:

vimaguin disse...

...virgemsanta! ai, ai...isso aqui é muita coisa para a minha parca inteligência...acho que preciso entrar pela porta dos fundos, sem ser vista, e, quietinha sem alarde, perguntar: "o que significa isso que não significa nada"?...sim, porque se houver alguém, umaminha pessoinha que seja, e que diz entender a vida...ahh, essa eu quero conhecer e tê-la como Deus!...amei aqui...muahhhh, e obrigada pela doce presença lá na minha "simpres" casinha...

vimaguin disse...

...você me perguntou se eu vivo, e é claro que esta pergunta merece respostas, e das boas ainda!pois bem: eu me sinto viva em vários momentos...eu vivo no olhar de uma criança, eu vivo nas palavras de um ancião, eu vivo quando vejo a lua tranquila e soberana no céu, eu vivo quando os primeiros raios de sol despontam para que eu os fotografem, vivo quando ouço o canto dos pássaros em meu jardim, vivo quando sinto o perfume de uma flor, vivo quando meus filhos me abraçam e eu sinto que é abraço de agradecimento por eu estar alí, vivo quando estou aqui por exemplo "falando" contigo por um simples cabo coaxial, vivo enfim, por todos estes motivos aí...e se por estes motivos todos, estou vivendo bem, é claro que estou morrendo igualmente bem...chega de filosofar...rss...bjs

William disse...

Oi.
O blog Diálogo me fez chegar aqui.
Queria saber se posso adicioná-lo ou requer algo mais?
rsrs
Parabéns!

Thaís Dourado disse...

Isso me lembrou oldblueboxx.blogspot.com
Vivo senão por tetraedros irregulares.

disse...

Gostei mto. Ótima escolha. :)

vimaguin disse...

...pelo mundo ser redondo, cá estou novamente nas voltas que o mundo dá...rsss...bjus

Juliana disse...

O mundo está enlatado e etiquetado,
acho que a forma já num faz mais nem diferença.

Cabraforte disse...

Muito!!


Saudades de tu cara!!

Abs vamos marcar de tomar um suco, Cerveja não bebo mais

Juliana.Campos disse...

As pessoas são confusas, chatas iritantes, mas o que fazer sem elas?!
Creio que o desafio nos move nesse mundo tão pequeno.